sábado, maio 17, 2008

Noite do dia G :)

Acabo de chegar a casa e de me deliciar com um pequeno brigadeiro.
Enquanto escrevo este post, percebo que para quem esperava pelo (in)esperado, digamos que tal espera se revelou, não só infrutífera, como também irrelevante.
A "culpa" pode ter sido dos malibus, pode ter sido da música, da dança (que se não fossem os sapatos novos teria sido concerteza mais...), ou então não!
A verdade é que, há precisamente 24 horas atrás o meu sono era interrompido por dores agudas de alma, por sensações de perda, por lágrimas atrevidas de um quase desespero... e o que dantes demorava dias, semanas e até meses para acalmar, hoje percebo que não passa de algo (não sei que nome lhe dar) com o qual vivo com alguma tranquilidade.
Talvez o tempo seja mesmo o melhor conselheiro, ou um bom remédio que nos vai anestesiando as dores, até chegarmos a um ponto em que perdemos a sensibilidade... não sei...
De qualquer forma, uma coisa é certa: as feridas podem até ser curadas, mas a cicatriz fica lá para sempre... Podemos disfarçá-la com um pouco de sol, tapá-la com qualquer coisa, mas nada disso fará com que desapareça! Resta-nos aprender a viver com ela e esperar, sem desesperar, por mais uma noite como a de hoje... :)

4 comentários:

Brama disse...

Não sei se o tempo nos torna insensíveis ... ainda não percebi bem se sim ou não ... mas sem dúvida amadurece-nos e permite-nos olhar para os factos noutra perspectiva (talvez sejam só subterfúgios para sobreviver!). Uma coisa tenho certeza, a beleza das coisas tem exactamente a medida que nós, deliberadamente, nelas depositamos.
Tantas vezes é mais aquilo em que queremos acreditar e não aquilo que é.

Anónimo disse...

ok... foi mm para melhor!

Nicolau disse...

"Vida" palavra un tanto quanto dificil de espressar....
É-nos mostrado a forma de podermos avançar na nossa caminhada ao longo dos dias qu vao passando, o passado e-nos marcado pelos bons momentos os maus saoi apagados pela beleza dos momentos, o futuro nada nos diz , algo de escuro envolve a volta desta palavra tao incerta e insegura, mas uma coisa é real as boas amizades que vamos criando e ganhando ao longo da vida que de tanto nos tem pra nos dar. jocas

Carlita disse...

Tens toda a razão acerca do que escreveste. As feridas, as cicatrizes, como lhes chamas, ficarão para sempre, mas uma coisa é certa: ao olharmos para trás, mostram nos que VIVEMOS e que AMAMOS. Vale a pena olhar as nossas cicatrizes e pensarmos nisso.

Vou ficar fã do teu blog...escreves muitissimo bem.Espero que não te importes que venha cá cuscar de vez em quando.